Entre Nós Talvez Estejam Multidões

Um filme de Aiano Bemfica e Pedro Maia

Sinopse

A Ocupação Eliana Silva surgiu em abril de 2012 numa região periférica de Belo Horizonte. Organizada pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), foi sitiada pela Polícia Militar de Minas Gerais desde suas primeiras horas e, ao cabo de 21 dias de cerco, mais de 300 famílias sem-teto foram brutalmente despejadas através do uso de um forte aparato policial. Dois meses depois, ocuparam outro terreno a menos de quinhentos metros de onde haviam sido desalojadas e estabeleceram ali uma comunidade que é, hoje, um modelo de autogestão. Filmado durante o período eleitoral de 2018, ano em que o projeto reacionário de Bolsonaro chega ao poder no Brasil, Entre Nós Talvez Estejam Multidões propõe uma aproximação íntima dessa comunidade, sua história, sonhos e cotidianos ao mesmo tempo em que acompanha seu processo de organização para responder, a partir do poder popular, às mudanças políticas nacionais.

Festivais

 - World Premiere: 9º Festival Internacional de Cinema de Curitiba: Olhar Independente - Seleção oficinal/competitiva nacional (2020, Brasil)

- 24ª Edição do Forum Doc BH Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte -  Seleção Oficial/  Mostra Brasileira Contemporânea // Prêmio: Filme em Destaque da Mostra Brasil Contemporâneo (2020, Brasil)

- 9o Cinecipó - Festival do Filme Insurgente - Seleção oficial (2020, Brasil)

- 53º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro - Seleção oficinal  - Competitiva Nacional // Prêmio Abraccine de melhor longa-metragem/ prêmio da crítica (2020, Brasil)

- 24ª Mostra de Cinema de Tiradentes // Seleção oficial da Mostra Vertentes da Criação

Os Diretores

AIANO BEMFICA é cineasta e antropólogo, entre 2010 e 2013 estudou direção cinematográfica na Fundación Universidad del Cine (FUC) e se formou assistente de direção no Centro de Formación Profesional del Sindicato de la Industria Cinematográfica Argentina (CFP- S.I.C.A.), em Buenos Aires. De volta ao Brasil, formou-se em Antropologia Social pela UFMG e, após dirigir alguns trabalhos institucionais e para web, estreou como diretor nos cinemas em 2016 com o filme Na Missão, com Kadu, exibido em mais de 30 festivais e mostras no Brasil e no mundo, tendo recebido diversos prêmios nacionais e internacionais. Seu próximo filme Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados (co-dirigido com Camila Bastos, Cris Araújo e Pedro Maia de Brito) irá estrear no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, estando selecionado para a mostra competitiva nacional. Além disso,  desde 2008 trabalha como produtor e assistente de direção em diversos projetos audiovisuais, tendo participado de mais de 30 filmes de diferentes gêneros e formato. Dentre estes, destacam-se os trabalhos com diretoras e diretores como Ana Carolina Soares, Rodrigo Carneiro, João Toledo, Cris Azzi, Guilherme Fiúza, Cristiano Abud, Gilberto Scarpa e Armando Mendz. 

PEDRO MAIA DE BRITO é natural de Recife. Cineasta e artista visual, também é curador do Festival Transterritorial do Cinema Underground. Estudou, sem tê-lo concluído, direção na Fundación Universidad del Cine (FUC), em Buenos Aires, e formou-se em montagem pelo Centro de Formación Profesional del Sindicato de la Industria Cinematográfica Argentina (CFP - S.I.C.A). Estreou em 2015 na direção com o curta-metragem “Intervenção” e em 2016 dirigiu com Aiano Bemfica e Kadu Freitas o Na Missão, com Kadu, um dos mais exibidos e premiados documentários nacionais do último período. Seu último filme, Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados, foi selecionado para a mostra competitiva do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, onde estreará nacionalmente. Colaborou com Gabriel Mascaro no longa-metragem Ventos de Agosto, filme laureado pelo Festival de Locarno. Recentemente foi premiado no 13º Concurso de Roteiro Rucker Vieira, promovido pela Fundação Joaquim Nabuco/MEC

Trailer

Fotos

CHURRASCO.jpg
STREAMING.jpg
GORDINHO BAR.jpg
Untitled00000000.jpg

Ficha Técnica

Produção: Amarillo Produções Audiovisuais 

Coprodução:  Miúdo Audiovisual e Riacho Doce

Distribuição: Embaúba Filmes

Roteiro e Direção: Aiano Bemfica, Pedro Maia de Brito

Produção Executiva: Pedro Maia, Tati Mitre, Vitor Cunha

Montagem: Gabriel Martins

Pré-edição: Ralph Antunes

Assistente de Direção: Bela Furtado

Direção de Fotografia: Raphael Malta, Rick Mello

Fotografia Adicional: Aiano Bemfica,  Higor Gomes, Pedro Maia de Brito

Som direto: Glaydson Mendes, Marcela Santos

Som direto adicional: Nélio Costa, Yara Pereira Torres

Desenho e Edição de Som: Nicolau Domingues e  Caio Domingues
Mixagem: Nicolau Domingues

Colorização e Finalização de Imagem: Alice Andrade Drummond
Pós-produção e Masterização: Matheus Rufino

Finalização: A Flor e A Náusea

Projeto Gráfico/Lettering: André Victor

Eletricista:  Márcio Gomes Chaves

Direção de Produção: Patrícia  Duarte, Tati Mitre

Assistente de Produção: Sthefany de Paula       

Aprendizes: Adriel Cassio Pereira de Oliveira, Alexandre Junior dos Santos Luciana Rosa Pereira Santana

Tradução e Legendagem (Inglês): Felipe Nachmanowicz
Revisão de Legendas (Inglês): Isadora Barcelos

Apoio: Movimento de Mulheres Olga Benário, Comissão Nacional de Comunicação do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas. 

Estúdios Quanta, Centro Universitário UNA

Artigos sobre o filme:

- "Eu sou a multidão | Olhar de Cinema #3"

(Matéria Prima Cinema, 13/10/2020)

- "Despertar Jamais"

(Apostila de Cinema, 14/10/2020)

​- “A câmera busca estabelecer uma relação de presença

(Revista Continente, 15/10/2020)

- "Da moradia à consciência: filme documenta ocupação urbana e a ameaça fascista"

(Blog Comunidade Plural, outubro de 2020)

- "9º Olhar de Cinema - Mostra Competitiva"

(Mulheres do Cinema Brasileiro, outubro de 2020)

 

- "Essa maneira estranhamente esperançosa"

(Revista Cinética, 16/10/2020)

- "Entre Nós Talvez Estejam Multidões"

(Cenas de Cinema, outubro de 2020)

- "31 - Aiano Bemfica - cinema, arte e política: entre nós talvez estejam multidõe"

(Podcast​ Conversas Para Um Mundo em Espera, outubro de 2020)

- "Com força nos documentários, 53º Festival de Brasília seleciona 30 filmes"

Secretaria de Estado de Cultura e Economia/DF, 24/11/2020)

- "Festival de Brasília: diretores apresentam história sobre a luta por moradia"

(Correio Brasiliense, 19/12/2020)

- "Entre Nós Talvez Estejam Multidões"

(Podcast Cultura FM Brasília, 14/12/2020)

- "Longa deste sábado (19) no Festival de Brasília explora luta por moradia"

(Secretaria de Estado de Cultura e Economia/DF, 19/12/2020)

- "Entre Nós Talvez Existam…’ Brasília(s)" 

(Cultura/ Estadão, 20/12/2020)

 

- "Opinião//Entre Nós Talvez Estejam Multidões"

(Secretaria de Estado de Cultura e Economia/DF, 20/12/2020)

- "Festival de Brasília 2020 anuncia vencedores"

(Jornal do Brasil, 23/12/2020)

©2020 por Amarillo Produções Audiovisuais. Orgulhosamente criado com Wix.com