A Mostra

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresentou, de 18 a 30 de agosto de 2015 (terça-feira a domingo), a mostra Argentina Rebelde, com 17 filmes – longas, médias e curtas – que traçaram um amplo panorama do cinema argentino, com obras de diversos estilos, realizadas entre 1942 e 2013 – desde o cine social dos anos 1940, passando pelo Nuevo Cine dos anos 1960 até as propostas mais radicais da contemporaneidade. O público teve a oportunidade de conhecer algumas das mais fascinantes formas cinematográficas desse país que, apesar de vizinho, conhecemos tão pouco.

A grande maioria dos filmes da mostra era inédita no Brasil e não conta com edições em DVD ou Blu-Ray no país (ou em língua portuguesa), apesar do reconhecimento de críticos e historiadores internacionais. Quase todos os filmes foram exibidos em película, em cópias restauradas. Entre os destaques da programação estavam o longa-metragem Invasão, que tem argumento de Jorge Luis Borges e Adolfo Bioy Casares e se tornou uma verdadeira lenda na cultura argentina; e … (Reticências), o primeiro filme do escritor e cineasta Edgardo Cozarinsky, um dos nomes mais importantes do cinema underground argentino (o filme nunca estreou, chegou a ser considerado perdido e foi restaurado em 2011). Outro filme que chamou a atenção dos cinéfilos é o curta-metragem Rei Morto, de Lucrecia Martel – filme em que esboça de maneira notável o estilo inconfundível da premiada diretora.

“O sentido da rebeldia que reúne as obras desta mostra é duplo e indissociável: a resistência à injustiça social e à repressão política na Argentina é aliada, no cinema, da insubordinação diante das gramáticas hegemônicas. Rebeldia que não tem apenas um sentido negativo, de oposição (embora essa negatividade seja fundamental), mas que se afirma como invenção apesar de tudo. Cada filme, em seu tempo e a seu modo (como não poderia deixar de ser), combina essas duas faces de uma mesma atitude estética e política rebelde, que varia e se desdobra em um manancial de formas”, comenta o crítico e pesquisador de cinema Victor Guimarães, curador da mostra.

A mostra contou também com a participação de pesquisadores e críticos latino-americanos em sessões comentadas, uma conferência e uma mesa-redonda, além de um curso de três dias ministrado por um crítico argentino. Foi editado um catálogo com traduções de textos já clássicos e contribuições inéditas.

Download Catálogo

Ficha Técnica

Realização: Amarillo Produções Audiovisuais e Frames

Curadoria e Organização do Catálogo: Victor Guimarães

Coordenação Geral: Lygia Santos

Produção Executiva:Tatiana Mitre

Produção de Cópias: Alexandra Duarte e Tatiana Mitre

Assistentes de Produção Local: Brenda Fahey, Clara Campos, Emanuela Farias, Lara Belov,
Mariana Campos, Stephanie Romualdo

Projeto Gráfico: Estúdio Lampejo

Autoração de Cópias Digitais e Legendagem Eletrônica: Frames

Tradução de Legendas: Álvaro Andrade

Tradução de Textos do Catálogo: Victor Guimarães

Revisão do Catálogo: Textecer

Assessoria de Imprensa: Cláudia Oliveira e Mariana Bezerra

Mídias Sociais: Mariana Garcia

Registro Fotográfico: Luisa Macedo

Revisão de Cópias: Cristina Mendonça

Tradução Juramentada: Luciana Santos e Nina de Melo Franco

Contabilidade: Acrópole Contabilidade

©2020 por Amarillo Produções Audiovisuais. Orgulhosamente criado com Wix.com