A Mostra

Com seleção de 20 filmes, a mostra tocou em temas como as relações afetivas, o erotismo, a dança, a antropofagia, o feminismo, a violência e a monstruosidade.

Apresentamos ao público da Caixa Cultural a Mostra Corpo e Cinema, um quadro formado por 12 longas e 8 curtas-metragens de diferentes origens e épocas cujas formas, linguagens e mise-en-scènes abrigam os corpos e a questão da corporalidade de maneira muito particular.

Entendemos que o corpo é tanto algo que aparece na imagem, que figura nela, quanto um reservatório de pulsões, desejos e afetos que se mostram, que se dão a ver para além dos limites da representação. Isso significa, em outras palavras, que todo e qualquer cinema pode ser compreendido não somente como um gesto puro de olhar – observar e ser observado –, mas, sobretudo, como um gesto de tocar, através do qual duas fisicalidades – câmera e corpos filmados, mas também espectador e imagem – encostam-se, afetam-se mutuamente e, às vezes, entram em conflito.

Dos filmes emergem questões tão variadas quanto complexas: gênero, sexualidade, desejo, repulsa, violência, transformação, vida e morte. As inquietações de alguns desses filmes diante dos corpos são conhecidas: é o caso de Abel Ferrara, que experimentou as mais diversas formas de violência, as mais variadas maneiras pelas quais um corpo pode sofrer violência e pelas quais pode ser, ele mesmo, violento. Este também é o caso de David Cronenberg – o que esse cineasta fez com os corpos em seus filmes parece ter dado origem a um imaginário de dilaceramento, metamorfose e escatologia absolutamente fundamental para a ideia que fazemos, hoje, dos anos 1980.

Outros filmes menos conhecidos são como verdadeiras descobertas das possibilidades de se filmar um corpo. É o caso de Barbara Hammer, cineasta de obra menos difundida em nossas terras, que investiga, em uma linguagem experimental, o corpo em suas dimensões plástica, sensível, erógena, romântica e política, tecendo verdadeiros estudos de movimento hipnóticos e potentes.

Com curadoria de Heron Formiga e Mariana Souto, doutorandos da UFMG, a mostra Corpo e Cinema foi uma realização da produtora Amarillo Produções Audiovisuais, e contou com patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.

CONFERÊNCIA E SESSÕES COMENTADAS

A programação da mostra foi formada também pela conferência intitulada “Corpos no cinema; corpo do cinema”, ministrada pela Profa. Dra. Mariana Baltar (UFF), realizada no dia 30/04/16, sábado. A entrada foi gratuita.

Algumas das sessões foram, ao término, comentadas por algumas estudiosas das relações entre corpos e imagens: Paula Sibilia (UFF), Ieda Tucherman (UFRJ), Érica Sarmet (UFF), e um dos curadores, Heron Formiga.

Acesse o site da mostra para saber mais sobre o conteúdo: https://mostracorpoecinema.wordpress.com/

Vinheta

Download do Catálogo

Ficha Técnica

Realização: Amarillo Produções Audiovisuais
Curadoria e Organização do catálogo: Mariana Souto e Heron Formiga
Coordenação geral: Lygia Santos
Produção executiva:Tatiana Mitre
Assistente de produção executiva: Zoe di Cadore
Produção local: Isabel Veiga
Produção de cópias: Carla Italiano
Projeto gráfico:Diego Ribeiro, Marcella Áquila
Tradução de texto para catálogo: Heron Formiga

Revisão da tradução de texto para catálogo: João Daniel Oliveira

Revisão de textos para catálogo: Textecer

Autoração e legendagem de cópias digitais: Frames
Tradução de legenda: Henrique Henras, Luciana Gonçalves

Revisão da tradução de legenda: Carla Italiano

Revisão ortográfica de legenda: Ana Carolina Antunes, Carla Italiano, Douglas Silva
Revisão de cópias: Natalia de Castro

Assessoria de imprensa  e mídias sociais: Ilustre Comunicação Criativa
Registro fotográfico e videográfico: Diogo Lisboa
Vinheta: Raquel Junqueira
Tradução juramentada: Luciana GonçalvesLuisa Lima

©2020 por Amarillo Produções Audiovisuais. Orgulhosamente criado com Wix.com